GT Nacional de História Cultural


 

  

  

  

APRESENTAÇÃO DO VI SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA CULTURAL


O GT Nacional de História Cultural, na sexta edição de seu Simpósio Nacional, por intermédio do tema "Escritas da História: Ver – Sentir – Narrar", almeja dar continuidade às questões que motivaram as edições anteriores, isto é, divulgar pesquisas e suscitar debates tanto em torno de temas já consagrados no âmbito da História Cultural, quanto refletir acerca de perspectivas teóricas e metodológicas que visam ampliar os campos de interlocução do historiador da cultura.

Em Encontros anteriores temas como Sensibilidades, Sociabilidades, Imagens, Linguagens, Representações e Paisagens foram os eixos norteadores. Nesta oportunidade, o VI Simpósio Nacional de História Cultural, por escolha do Comitê Científico do GT Nacional de História Cultural, se propõe a esquadrinhar, de maneira aprofundada, uma temática de grande interesse para os historiadores, a saber: as escritas da história. Na verdade, o VI Simpósio tem como principal objetivo refletir acerca das diferentes maneiras de se escrever a História Cultural, seja no âmbito propriamente teórico, num diálogo com ideias e conceitos que tem ampliado, nas últimas décadas, horizontes investigativos e de pesquisa, seja em sintonia com os temas e objetos privilegiados pelos historiadores da cultura.

Nesse sentido, o propósito do VI Simpósio Nacional de História Cultural é o de enfrentar tanto desafios teóricos e interpretativos quanto analisar procedimentos e práticas atinentes às escritas da história e ao ofício do historiador que se volta para a História Cultural. Por este caminho, compreendendo que a apreensão da realidade ocorre em dois planos – racional e emocional –, teremos como perspectiva geral discutir como as escritas da História Cultural têm enfrentado questões teóricas e de método. Essas escritas se processam no confluir do indivíduo com o social, dado pela partilha e pelo embate, pelas forças de coesão e de enfrentamento, que se realizam na dinâmica do processo histórico.

Assim, no VI Simpósio Nacional de História Cultural, nossa proposta é a de pensar os problemas envolvidos nas escritas da história, mas não apenas os que se apresentaram ao historiador de ofício em razão do impacto do "linguistic turn" [ou seja, os problemas da representação narrativa do referente (ficcional x real), propostos por Hayden White, Roland Barthes, entre outros], mas, sobretudo, como as escritas da história cultural respondem às mudanças ocorridas nos comportamentos, nos valores e visões de mundo, nas formas de conhecimento do real, nos regimes de verdades, nas experiências estéticas e expressões artísticas, nas crenças e mitos, na moral e na norma, nas formas de agregação dos indivíduos e dos grupos, no sentido do público e do privado. Em resumo: que razões e sentimentos estavam contidos nessas transformações que ocorreram nas escritas da história?

 

VI Simpósio de História Cultural - "Escritas da História: Ver – Sentir – Narrar"  |  Todos os direitos reservados.